Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Especialidade cirúrgica que trata principalmente dos tumores e lesões benignos ou malignos de regiões como boca, faringe, laringe, tireoide, paratireoide, glândulas salivares e dos tecidos moles do pescoço. O cérebro e áreas do sistema nervoso central são exclusos do profissional sendo competência dos neurocirurgiões.

Tumores Congênitos Cervicais

São malformações congênitas que pode se desenvolver em qualquer fase da vida, sendo mais comum na infância e adolescência. Os primeiros sintomas são abaulamento e dor cervicais. Os tipos mais prevalentes são: cisto ou fístula do ducto tireoglosso, cisto ou fístula branquial, linfangiomas, higromas císticos e hemangiomas. O tratamento geralmente é cirúrgico.

Nódulos da tireoide

A tireoide é uma pequena glândula localizada na base do pescoço responsável pelo crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes, atuando também no peso, memória, controle emocional, regulação dos ciclos menstruais, fertilidade, concentração e estado humoral. Disfunções na tireoide podem acontecer mesmo sem o bócio (nódulos) em qualquer etapa da vida. Os nódulos são as lesões mais comumente diagnosticadas e, na maioria das vezes, decorrem de doenças benignas que acometem a glândula. Quando identificado um nódulo na tireoide, para saber se é benigno ou maligno há necessidade de se realizar uma punção por meio de uma agulha fina, aplicada diretamente no nódulo. O procedimento é simples e pouco doloroso. A cirurgia para a retirada de toda ou parte da tireoide denomina-se tireoidectomia e, em geral, tem baixo índice de complicações. O tipo de cirurgia depende de inúmeros fatores, que podem ser mais bem discutidos entre médico e paciente.

Tumores de Boca / Orofaringe

A boca e a garganta são estruturas compostas por uma grande diversidade de células e tecidos, por isso são suscetíveis ao surgimento de diferentes tipos de tumores benignos e malignos. A maioria das pessoas que desenvolvem câncer na boca são aquelas que fumam ou abusam do álcool, porém, há casos, em menor proporção, de pessoas que nunca fumaram ou nunca beberam e que podem vir a desenvolver a doença. Outros fatores de risco são a falta de higiene oral, próteses dentárias e a infecção oral pelo papilomavírus (HPV). Manchas nos lábios ou bochechas, caroços na região, dor ou amolecimento de dentes, dormência da língua, feridas bucais que não cicatrizam ou áreas vermelhas podem servir como sintomas. Todos os nódulos em cavidade oral que persistirem por mais de 21 dias deverão ser biopsiados e avaliados por um especialista. Vários tipos de cirurgias podem ser realizadas para tratar o câncer dessas regiões.

Paratireoide

As paratireoides são quatro pequenas glândulas localizadas, na maioria das vezes, próximas da tireoide. Elas são responsáveis por secretar o PTH, hormônio responsável pelo equilíbrio do cálcio e do fósforo, diretamente relacionado ao metabolismo ósseo. A principal patologia da paratireoide é o hiperparatireoidismo, quando há uma produção anômala de PTH por uma ou várias glândulas. O hipoparatireoidismo geralmente está relacionado à uma condição pós-operatória da tireoidectomia, podendo ser transitório ou persistente. O paciente apresenta câimbras e/ou formigamentos, necessitando de reposição de cálcio via oral.

Tumores de Pele

Os tumores de pele correspondem a 25% do total de neoplasias no Brasil. A doença é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. Os mais comuns são os carcinomas basocelulares e os espinocelulares. Mais raro e letal, o melanoma é o tipo mais agressivo de câncer da pele. A radiação ultravioleta é a principal responsável pelo desenvolvimento de tumores cutâneos, e a maioria dos casos está associada à exposição excessiva ao sol ou ao uso de câmaras de bronzeamento. Apesar da incidência elevada, o câncer da pele não melanoma pode ser curado com facilidade, se detectado precocemente. Por isso, examine regularmente sua pele e procure um especialista em caso de dúvidas.

Linfonodomegalias Cervicais

Linfonodomegalias são aumentos anormais de estruturas do sistema linfático (linfonodos) que ocorrem na região da face (intraparotídea) e/ou pescoço. Os adultos possuem mais de 300 linfonodos na região cervical. A maioria deles se trata de uma resposta inflamatória (reacional) à alguma infecção recente adquirida pelo paciente. Em geral, há suspeita de câncer quando os nódulos não desaparecem espontaneamente em até 21 dias, quando são endurecidos e crescem lenta e progressivamente. O diagnóstico é feito por exames (ultrassom ou tomografia) e o tratamento pode incluir desde a observação até procedimentos cirúrgicos mais complexos.

Tumores de Laringe

O câncer de laringe ocorre predominantemente em homens, também tendo como fatores de risco o álcool e o tabaco. O refluxo gastroesofágico também pode induzir ao câncer laríngeo, mas em menor proporção. Um dos primeiros sintomas é a rouquidão persistente, com ou sem nódulos cervicais associados. A cirurgia tem um papel importante no tratamento dessas lesões. Cabe ao médico decidir qual o melhor procedimento, levando em consideração a localização e o estágio.

Laringoscopia*

* Apenas para pacientes particulares
Um tipo de exame que pode ser realizado no nariz, laringe, faringe e boca no qual as vias aéreas altas são analisadas através de um endoscópio. O aparelho consegue gerar imagens ampliadas, em alta resolução e propicia a realização de biópsias para uma análise posterior. Ela é indicada para observar mucosas, lesões, diagnosticar doenças como rinites, faringites e suspeitas de câncer.

Tumores de Parótida

As parótidas são as maiores glândulas salivares do corpo localizadas no segmento cervicofacial. O tumor de parótida é bastante comum e, na maioria das vezes, é benigno. O diagnóstico é feito com uma análise do tecido (punção aspirativa por agulha fina). A cirurgia é o tratamento mais indicado quando há nódulos benignos ou confirmação de câncer. O procedimento consiste na remoção da parótida associada a algum tecido vizinho como margem de segurança.

Fontes
SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia)
SBCCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço)
SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia).