Laringoscopia – O Que É e Quais Suas Indicações?

Publicado em: 27/09/2021

Laringoscopia é o exame endoscópico que avalia as vias aéreas superiores (nariz, cavidade oral, faringe e laringe), realizado por meio de um aparelho chamado laringoscópio.

Há dois tipos de Laringoscopia:

  • A Laringoscopia Direta, que é realizada pela boca, consiste no uso de uma ótica rígida com extremidade angulada que permite visualizar a faringe e a laringe quando posicionada na boca, sobre a língua;
  • A Nasofibrolaringoscopia, realizada por meio de um tubo flexível introduzido através das narinas, visualiza todas as partes da faringe e laringe, bem como a transição faringoesofágica.
    Nos dois exames, o médico pode acoplar os aparelhos a sistema de vídeo que permite amplificação e registro das imagens

Quais são as indicações deste exame?

A laringoscopia é muito importante no diagnóstico de lesões orgânicas ou funcionais localizadas na cavidade oral, faringe e laringe. O exame pode ser útil para os pacientes que apresentam:
– Histórico pessoal ou familiar de câncer de cabeça ou pescoço;
– Tosse crônica / persistente;
– Dor ou dificuldade para engolir ou mastigar;
– Rouquidão (disfonia) prolongada;
– Refluxo gastroesofágico;
– Dor de garganta crônica;
– Suspeita de câncer;
– Tabagismo e/ou etilismo crônicos;
– Sensação de possuir um caroço ou corpo estranho na garganta;

Como é realizado este exame?

Por se tratar de um exame simples, ambulatorial, solicita-se ao paciente apenas que esteja em jejum por 2 horas. O paciente realiza o exame sentado, sob efeito de spray spray anestésico nas narinas e/ou na garganta para que o aparelho deslize sem maiores desconfortos. Durante o exame solicita-se que o paciente respire calmamente e fale o que for solicitado pelo médico, pois isso permite a avaliação adequada das estruturas laríngeas. Na presença de lesões suspeitas, é possível a realização de biópsia tecidual sob visão endoscópica na maioria das vezes. Este tecido, então, é encaminhado a um laboratório para complementação diagnóstica.

Há contraindicações à Laringoscopia?

Por ser um exame considerado simples, cabe ao médico avaliar cada caso especifico. Alguns pacientes podem precisar de maior atenção: portadores de cardiopatias graves, doenças pulmonares crônicas, distúrbios neurológicos ou alérgicos aos medicamentos usados no exame.

O que fazer após a Laringoscopia?

O paciente pode ser liberado logo após o término do exame para retomar sua rotina diária. Pelo uso do spray anestésico, o paciente poderá permanecer com a sensação de dormente no local por cerca de uma hora. Caso tenha sido realizado biópsia tecidual, solicita-se que a dieta seja morna e mais macia (pastosa) nas primeiras 24 horas.

Gostou do texto? Interessou-se por esse ou outros assuntos? Acesse nosso site: http://www.dranataliaandrade.com.br

Publicado por: Dra. Natália Andrade

168 Visualizações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *